Facebook Twitter Linked In Mais opções
imagem de destaque

AML Alimenta vai valorizar os produtos locais e combater o desperdício alimentar

O projeto AML Alimenta, que tem como objetivos a promoção da alimentação saudável e sustentável, a valorização da dieta mediterrânica e o combate ao desperdício alimentar na área metropolitana de Lisboa, foi apresentado em Palmela, no dia 12 de abril, num evento que contou com o secretário de estado da Agricultura, Gonçalo Rodrigues, e com o presidente da Câmara Municipal de Palmela, Álvaro Amaro.

Através de um trabalho com os produtores de bens alimentares, mercados locais e escolas, espera-se ter, até maio de 2024, um projeto-piloto numa escola e num mercado em cada um dos 18 municípios da AML, para depois poder ser replicado de uma forma mais alargada por todo o território.

Foram já identificados cerca de 150 mercados, mais de metade dos quais comercializam bens que são produzidos na área metropolitana de Lisboa (num universo de, aproximadamente, 350 agricultores).

A curto prazo serão desenvolvidos contactos com os produtores, e com quem gere os mercados, e ações de sensibilização para os consumidores, para que passem a comprar produtos locais, reduzindo também a pegada carbónica.

Em simultâneo, será trabalhada a população escolar dos 18 municípios, para a aplicação dos princípios da dieta mediterrânica nas ementas e para a aquisição dos produtos locais numa lógica de proximidade.

O desperdício alimentar será também trabalhado junto dos produtores e dos consumidores.

Está ainda em estudo um selo de origem ou uma identificação própria, no caso dos produtos alimentares, que valorizem os mercados de produtores.

O projeto AML alimenta está a ser desenvolvido no âmbito do Plano Nacional para a Alimentação Equilibrada e Sustentável da Rede Rural Nacional, e resulta de uma parceria entre a Área Metropolitana de Lisboa, Direção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo, Associação para o Desenvolvimento Sustentável da Região Saloia e Associação para o Desenvolvimento Regional da Península de Setúbal.

Foram ainda abordadas temáticas como a estratégia alimentar da AML, o Plano Nacional para a Alimentação Equilibrada e Sustentável e as oportunidades de financiamento para a temática da alimentação, no quadro do Programa Regional Lisboa 2030 e do Plano Estratégico da Política Agrícola Comum para Portugal.

A AML já trabalha as questões da sustentabilidade e transição alimentar desde 2019, ano em que elaborou, em conjunto com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, a Estratégia Regional Lisboa 2030, e identificou como dimensão prioritária a sustentabilidade ambiental e alimentar.

Actualizado a 21/04/2023
To top