Facebook Twitter Linked In Mais opções
imagem de destaque

AML destaca valores de Abril em cerimónia de evocação ao poder local

Cerca de 200 convidados estiveram presentes na cerimónia de evocação ao poder local, realizada pela Área Metropolitana de Lisboa, no dia 18 de abril, no cineteatro D. João V, na Amadora.

Na cerimónia, integrada nas comemorações dos 50 anos do 25 de Abril da Área Metropolitana de Lisboa, foram homenageados cerca de 100 presidentes de câmara dos 18 municípios do território metropolitano, eleitos desde as primeiras eleições autárquicas, realizadas em 1976, até à atualidade.

Através dos presidentes homenageados estiveram representados todos os autarcas, de todos os órgãos, que desempenharam e continuam a desempenhar uma missão social que procura uma constante melhoria das condições de vida das suas populações.

Foi, nas palavras da presidente do Conselho Metropolitano de Lisboa, Carla Tavares, uma “homenagem justa e devida que relembra o importante papel das autarquias na consolidação do poder local democrático, e de todas as mulheres e homens que foram, e são, o seu rosto”.

No discurso de abertura da cerimónia, Carla Tavares defendeu que “ser autarca é a mais nobre missão que pode ser desempenhada na política, pela afetividade e proximidade com as pessoas, e pela capacidade de melhorar as suas vidas com as suas decisões e medidas”.

Para a presidente do Conselho Metropolitano de Lisboa “o poder local teve um papel fundamental no sucesso da revolução, na implementação dos ideais de Abril e na construção de uma sociedade livre e democrática, construindo pontes entre o governo central e as comunidades locais”.

Carla Tavares terminou o seu discurso com os olhos postos no futuro “com a certeza que nunca deixaremos cerrar as portas que Abril abriu, e inspirados pelo legado dos autarcas que nos antecederam, juntos, com dedicação e compromisso, continuaremos a trabalhar em prol do bem comum e do progresso dos nossos territórios e da área metropolitana de lisboa no seu todo”.

Depois da projeção de um filme inédito sobre a importância do trabalho desenvolvido na região nos últimos 50 anos, a cerimónia continuou com a atuação de Teresa Salgueiro.

A antiga voz dos Madredeus cantou duas composições de Zeca Afonso “Maio Maduro Maio” e “Traz Outro Amigo Também”.

A cerimónia prosseguiu com a chamada a palco dos presidentes e dos seus representantes, para a cerimónia de homenagem.

Os autarcas receberam um azulejo desenhado por Mário Linhares, que ganhou inspiração na carta para a cultura da área metropolitana de Lisboa “em que cada um dos desenhos dos municípios foi transformado num azulejo, que tem no centro uma figura, filha do 25 de abril, inspirada pela figura da República”, segundo as palavras do próprio autor.

Durante a homenagem, Pedro Freitas, conhecido como Poeta da Cidade, recitou três poemas, de autores portugueses.

Após a homenagem, a cerimónia terminou com a voz de Teresa Salgueiro a cantar a canção “Alegria”, com letra de José Saramago.

Sob o mote “O Povo é Quem Mais Ordena”, as comemorações dos 50 anos do 25 de Abril da Área Metropolitana de Lisboa continuarão durante os próximos meses com outras iniciativas, que serão dadas a conhecer brevemente.

Actualizado a 22/04/2024
To top