Facebook Twitter Linked In Mais opções
imagem de destaque

Música e teatro na programação cultural do Mural 18 para este fim de semana

A programação cultural do Mural 18, que se está a aproximar do fim, apresenta este fim de semana dois concertos musicais (em Loures e Sacavém) e um espetáculo de teatro (em Cascais).

Estendendo-se até dezembro de 2021, a programação está a ser materializada num conjunto de eventos em diferentes áreas artísticas, prioritariamente ao ar livre, e em espaços que valorizam o património cultural e paisagístico do nosso território.

20 de novembro, 20h30

Aldebarã (teatro)

Auditório Fernando Lopes-Graça, Parque Palmela, Cascais

Um espetáculo construído a partir de jornadas mitológicas de heróis como Ulisses, Eneias e Jasão. “Portugal, ano 2118. Os recursos naturais da terra estão esgotados e a humanidade está à beira da extinção. Como último recurso, a agência espacial lusitana vai enviar uma expedição em busca de outro planeta habitável. Destino: a estrela Aldebarã, uma das mais próximas do nosso sistema solar. Procuram-se tripulantes para esta missão repleta de perigos e incertezas. Mas os únicos voluntários a oferecer-se formam uma tripulação de párias, desajustados e estouvados. Agora estes argonautas futuristas devem unir as suas forças e lançar-se no desconhecido. Conseguirão eles salvar o planeta que os rejeitou?”

Projeto concebido pela associação cultural Terra Amarela, com texto de Alex Cassal, encenação de Marco Paiva, e com um elenco de intérpretes-criadores com um perfil que se apoia na diferença (Barbara Pollastri, Joana Honório, Tânia Alves e Tony Wever).

Bilhetes a 8 euros (normal) e a 6,5 euros (estudantes, seniores e profissionais de espetáculo). Organização: Câmara Municipal de Cascais.

20 de novembro, 21h00

Mosaico Musical Duo Cortez-Guerreiro (música)

Igreja Matriz de Loures

Concerto com Elsa Cortês (soprano) e Júlio Guerreiro (guitarra).

Programa composto por repertório ibérico, representado na vertente hispânica pelas “coplas” (do compositor Joaquín Rodrigo) e pelas “seguidillas” (do oitocentista Fernando Sor), e na vertente lusitana, pela canção trovadoresca lusitana (compositores Francisco de Lacerda e Frederico de Freitas). Terá ainda  uma terceira parte, com canções populares francesas e inglesas, harmonizadas por Mátyás Seiber e Benjamin Britten.

Entrada livre, sujeita a reserva prévia. Informações através do e-mail dc@cm-loures.pt e do telefone 211 151 172. Organização: Câmara Municipal de Loures. 

21 de novembro, 11h00

Vamos Mergulhar nas Histórias que nos Contam (música)

Auditório do Museu de Cerâmica de Sacavém

Um trompete com um bocal em forma de taça. Uma trompa com um bocal em forma de funil e um longo tubo estreito. Um trombone com dois tubos em forma de U, um dos quais a deslizar dentro do outro. Vamos navegar pelos sons dos tubos destes instrumentos musicais e mergulhar nas histórias que nos contam. Davide Lopes (Trompete), Derek Aguiar (Trompa) e João Canelas (Trombone), são os músicos deste trio de metais, que se juntam a Susana Henriques para uma viagem extraordinária ao som de Poulenc, Beethoven e Gershwin.

Entrada livre, sujeita a reserva prévia. Informações através do e-mail dc@cm-loures.pt e do telefone 211 151 172. Organização: Câmara Municipal de Loures.

Conheça a programação completa aqui.  

Recorde-se que, através do Mural 18, que tem uma comparticipação financeira do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional de 1,5 milhões de Euros – resultante de uma candidatura apresentada pela Área Metropolitana de Lisboa, e pelos seus 18 municípios, no âmbito do Programa Operacional Regional de Lisboa 2020 -, está a ser desenvolvida uma vasta programação cultural, que une agentes culturais, municípios e cidadãos, em defesa da comunidade artística e do nosso património cultural, imaterial e material.

Esta iniciativa, que acontece numa altura especialmente delicada para todo o setor cultural, resulta da vontade clara da Área Metropolitana de Lisboa e dos seus 18 municípios, de criar uma programação que sublinhe a importância da cultura na vida das comunidades, e que seja uma marca clara de apoio a quem faz da cultura a sua vida e a sua forma de subsistência. 

Continuamos, por todas estas razões, muralizados no apoio à cultura.

Actualizado a 18/11/2021
To top