Facebook Twitter Linked In Mais opções
imagem de destaque

Rede Metropolitana de Parques Agroalimentares apresentada aos municípios da AML

A Rede Metropolitana de Parques Agroalimentares foi apresentada aos 18 municípios da área metropolitana de Lisboa, durante uma reunião do Grupo de Trabalho Metropolitano do Ambiente, Ordenamento do Território e Urbanismo, que decorreu no dia 10 de fevereiro, por videoconferência.

Na reunião, promovida pela Área Metropolitana de Lisboa, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo e Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, o secretário metropolitano, Filipe Ferreira, defendeu a importância destes parques agroalimentares que, na sua ótica “testemunham um novo rumo coletivo, imprescindível à autonomia alimentar, não só da nossa região metropolitana, como de todo o país”.

A rede, que conta com cerca de duas dezenas de organizações, tem como objetivo o planeamento e a gestão do sistema alimentar dos parques agroalimentares, e funcionará através de uma plataforma colaborativa de entidades públicas e privadas que prosseguem princípios de sustentabilidade relativamente ao nexus solo, água, biodiversidade e energia, com vista a uma alimentação segura, saudável, inclusiva e responsável da população metropolitana.

A rede promoverá a economia circular, resiliente e de proximidade, atendendo à adaptação climática, criará emprego, promoverá a saúde e o bem-estar e respeitará a equidade social. Será ainda um pilar da dieta mediterrânica, reforçará a identidade cultural, ao mesmo tempo que incentivará a inovação científica e tecnológica nas diversas componentes do sistema alimentar, contribuirá para a formação, capacitação e sensibilização dos agentes ativos do sistema alimentar, aumentará a literacia alimentar e a transição para a digitalização.

Na reunião foram também apresentadas diversas oportunidades de financiamento neste âmbito, e definidos os próximos passos na consolidação desta rede.

Actualizado a 17/02/2022
To top